11 de abr de 2010

3º Encontro de Ex-Aluno(a) do Rio de Janeiro

Churrascaria Gaúcha... O mesmo encanto.
Impedimentos não faltavam assim como as razões imperiosas que me impossibilitavam retornar a efetiva confraternização que é reencontrar o(a) Ex-aluno(a). Mas, por que demais ex-alunos(as) não deveriam contar com minha presença, já que ali estavam para ver todos relacionados. Não... Não deveria nem teria este direito em desapontá-los... Fui. Muitos(as) tiveram impedimentos imperiosos como um problema de saúde que acometem a muitos... Outros(as) motivados por perdas irreparáveis recentes... São, sim, impedimentos que permitem sentir suas presenças, e, lamentar "as ausências".
Fiz uma viagem marcada pela paciência: de um lado intenso movimento de veículo e de outro aguentar o "tititi" de duas simpática acompanhantes que me obrigava a cada instante pedir a São Cristovão, padroeiro dos motorista que encurtassem o trajeto ou liberasse o fluxo de trânsito, para que o mais rápido pudesse livrar-me do "problema". Mas cheguei. Tenso e inebriado, mas cheguei. Então, como num passe de mágica... Mas, acredito na Obra Divina, tudo é esquecido... E prevalece o sentimento único de estar ali mais uma vez me rejuvenecendo nas presenças sádias, alegres e simpáticas de colegas Ex-alunos(as). É reencontrar... Sim, para sempre.
Apesar "do meu problema", chegamos à encantadora Churrascaria Gaúcha localizada em, não menos famosos, carismáticos e tradicionais locais que marcam positivamente a fluminense cada vez mais maravilhosa cidade do Rio de Janeiro de Adenir de Oliveira Balmant, no Largo do Machado. Ali praticamente fomos agraciados com a receptividade do free lance que solicita a permissão para conduzir em segurança e cuidado nosso carro até um estacionamento seguro da Churrascaria Gaucha e ainda na entrada a receptividade de Juares Soares, Airton ou Ariston(que mais tarde foi solicitado o contar a origem de seu nome próprio a uma platéia atenta e sorridente) e Adenir, como sempre, em estado de alerta e tenso a cada renovado reencontro.
Na chegada pude observar inúmeras ausências de colegas da época de 60. Foi um período ruim para muitos... Foi. E uma das razões, a arrogante implantação do sistema militar - a ditadura intransigente que a muitos obrigavam fugir do Internato e determinavam suas insastifações no colégio longe de sua família. A própria Mudança Estrutural imbutida na transformação do Colégio Evangélico... A não menos sentida morte do Reverendo Cícero Siqueira da Silva Romeu... Foi um marco divisor na preferência pessoal do Ex-aluno(a). Também o falecimento da Professora Cecília Rodrigues Siqueira... Desorientou demasiadamente a muitos que a tinham como motivada condição para se estabelecer no Internato Feminino e principalmente nas alunas Externas. Influiram mudanças as ausência dos ícones da educação e amigos incondicionais dos(as) alunos(as) e abatem muito o emocional de quem lá estavam e ou chegaram depois. O temor vivido, com a mudança abrupta de orientação e as orientações que fluiam mais graves nas determinações, podem estar agindo "neste descaso". Será? Vivi partes destes instantes turbulentos e muitos mais... E retornar ao que era... Foi quase impossível. Muitos, ainda naquela idade tenra, não compreendiam como seus pais ou responsáveis, ali ainda os(as) permitiam ficar.
Mas vamos mudar esta opção pessoal de alguns, e para isso surge a partir de 1981, mas concretizado a partir de 2009, com a atual Diretoria da AECE, um dos instrumentos institucionais, simpáticos e de reagrupamentos: a Minuta do Estatuto vai para a legalização... Há frentes com integrantes da Diretoria na organização, atualização e distribuição, para o mais breve possível, dos contatos atualizados de aproximadamente 1500 ex. Fico por aqui no ensejo de termos trunfos para sensibilizar o(a) que resiste na reaproximação.
Mas, gostaria de não citar nominalmente colegas desta época que confirmaram suas presenças e veriam sem que nada os impedissem... Mas, não estiveram conosco, e, tenho a dizê-los: mais uma vez quem não esteve presente não "curtiu" o ambiente, a localidade proseada pelos bons entendidos nas palavras que emotivam... Deixaram de confraternizar e mostrar aos familiares quanto somos diferentes quando estamos reunidos com ex e, sempre serão momentos lúdicos, nostálgicos, de contínuo apredizado, de confirmação que "a família Ex-aluno(a) cresce e continua seu progresso ladeira acima... A escala é kilométricamente clara".
Portanto, colegas de 60/70/80/90 tomem coragem ou curiosidade e venham testar o que aqui está sucintamente escrito e nos e-mais que deverão estar circulando no objetivo de informar o evento e suas variáveis aos contatos registrados. E, por que não dizer, nos presentear com suas presenças joviais, e, conhecer seus predecessores, e, uma vez juntos "incrementar" o que já está excelente, no comando de dois(2) "teimosos, corajosos e insistentes" colegas na árdua tarefa de arregimentar o maior número possível de colegas do saudoso Colégio Evangélico num calendário diferenciado modificado na "ausência física" da cidade de Alto Jequitibá.
No interior do local estavam o simpático e carinhoso casal Clara e Zeitune recepcionando-nos, conferindo ansiosamente as confirmações. A cada abraço uma satisfação diferente da anterior. Os grupos se formam imediatamente e os inúmeros papos... Ainda as surpresas. Aliás, surpresas são ingredientes que não faltam. Revi/outros vi pela 1ª vez após "alguns aninhos" de desencontros o colega Sylvio Julio Rezende(59/62), Levi Cruz Reis(58/61), Clotildes Onofre de Abreu Jardim(62/68), Elane Frossard Barbosa(56/59), Milton Machado de Gouvêa(38/43), Celma Peres Rossi(55/63), Paulo Magalhães(38/41), Juarez Soares(50/60), Antonio Walter Pacheco(58/61), Jacy Rodrigues Falcão(...), Edson Godói(...), Laurindo Batista(49/53), Willian Frossard(...), Paulo Cordeiro(...), Heraldo Mercadante(...), etc... Os nomes aqui omissos minhas desculpas... Fui longe com a minha memória.
A presença amigável e de saudosas lembranças do colega e amigo Antonio Modesto Couto, o nosso Toninho Couto foi prazerosa e elevou o astral dos que o contactaram e sua presença corroboram com a estabilização do Encontro Regional do RJ. Conheci Elane Frossard Barbosa de fato e de direito e com a otimização de um saudoso abraço e beijo amigável. Momento ímpar conhecer tão querida colega e ser tratado com carinho e sentimento de amizade profundo. A alegria e aconchego da simpática consideração do colega e amigo Ulisses Breder Ambrósio é deveras contagiante e nos faz muito bem. E como diz o não menos importante e um dos nossos idealizadores do Encontro RJ, Adenir de Oliveira Balmant " o Ulisses é animador".
Mas este 3º Encontro RJ teria que ser especialíssimo. Corria-se o risco de não termos "dois(2) especialistas" na sua condução e realização. Mas, estavam enganados os que em alto Jequitibá "profetizaram" que 2010 não estaríamos reunidos. Ainda bem que nosso Pai Maior, naqueles momentos de desvendar o futuro de algumas pessoas, não estava de plantão e não os ouviram. Sempre que converso com alguém gosto de olhar "dentro dos olhos" de quem estou ouvindo para certificar-me de suas verdades ou enganos. E vi naqueles momentos "que todos poderiam estar enganados... Até as peças mais importantes"... Graças a Deus Por Isso. Tivemos a excelente dupla mais uma vez administrando o Evento que é calendário nacional e anualmente no mês de março, até para os(as) Ex-alunos(as) que insistem em desconsiderar o Evento... Sejam eles(as) inseridos, em "quaisquer de suas razões". Foi mais 1... Agora o 3º com sucesso comprovado. Vamos + além... Paguem pra vê... Mas paguem alto valor. Parabéns aos colegas Adenir de Oliveira Balmant e Helio Zeitune e a Promoter Clara Lúcia Zeitune que a cada Evento seu assessoramento é visível e profissional.
O Vivaldo Barbosa e Aylê Salassié Filgueiras Quintão promoveram seus atuais livros e com boas vendas... Não houve a já tradicional oferta à AECE. E Vivaldo Barbosa está se preparando para reingressar na vida política... E contactou algumas lideranças existentes ente nós Ex-alunos(as).
Tivemos a presença do Ex-aluno mais velho ofertando com ilustre presença sua disposição e alegria na confraternização, embelezando com seu interesse o engrandecimento Encontro Regional de Ex-aluno(a) que ocorrem em datas que antecedem a que ocorre na terrinha de Alto Jequitibá.
O evento foi registrado em vídeo e fotos. Os(as) que não puderam comparecer e queiram manter a recordação da confraternização, mantenham contato pelo Tel. Cel. 21 78972974 ou pelo E-mail prclaudiomartins@gmail.com ao custo de R$ 30,00.
Fui surpreendido com o vídeo que me flagou no 2º Encontro do RJ acontecido na Quinta da Boa Vista. Digo da surpresa por que no vídeo que tenho do evento esta parte tinha sido suprimida"por tática dos elaboradores do evento" para aqueles(as) quando no atual fossem carinhosamente lembrando de "suas travessuras no anterior". Obrigado por minha lembrança e espero que outros tenham tido "suas surpresas".
Sei que muitos(as) Ex-alunos(as) têm conhecimento de inúmeras profissões de seus colegas, mas, fui surpreendido com a profissão da colega Celma Peres Rossi: Juiza de Futebol... Acho que foi a mesma que garfou meu Botafogo no jogo c/ o Flamengo. Mas ela jura que não esteve no apito/bandeirinha. Foi prazeroso revê-la colega... Esteja mais vezes em nossos encontros e apareça em Alto Jequitibá este ano nos festejos da Semana da Pátria.
O nosso querido casal de Ex-aluno Guto Vidon e Rosemary Campagnucci informa que o 2º Encontro de Ex-aluno(a) de Juiz de Fora MG acontecerá no dia 19/06/2010. Caso ocorra jogo do Brasil neste dia, o local escolhido estará apto aos dois(2) eventos e convindam Ex-alunos(as) a estarem presentes: 2º Encontro de JF/MG e Jogo do Brasil". Vamos nos programar... Vamos realizar uma caravana. O 1º Encontro de JF/MG já é sucesso.
Aquele(a) que esteve presente ao 3º Encontro do RJ, tem que dizer: vê-lo(a) é voltar ao meu passado inesquecível no Colégio Evangélico da Cidade Ainda Sem Pecado de Alto Jequitibá que muito bem soube me encaminhar na vida e estruturar-me a vencer: sou um vencedor. Mas ser vencedor é ser seu colega e chamá-lo(a) pelo nome ou apelido e ser agraciado pelo seu carinho e reciprocidade. É não termos barreiras de comunicação e nossas famílias se confraternizarem como a uma só existente no local. É abraçá-lo(a) e sentir afago e calor humano de pura sinceridade de sentimento: assim é o(a) Ex-aluno(a) do Colégio Evangélico... Assim sou eu... Também o Vencedor.
Rumo ao 2º Encontro de Ex-aluno do JF/MG.
Rumo ao 4º Encontro de Ex-aluno de RJ/RJ.

Nenhum comentário: